terça-feira, 28 de julho de 2015

A vaca

Adivinha
 Dou leite e boa carninha
Sou forte, mas com voz fraca
Sou pachorrenta e rumino, 
Adivinha, eu sou a ...
 (vaca)

Com tinta cenográfica preta, branca e cor de rosa pintámos a planta do nosso pé, que estampámos numa folha de papel branca. Depois de seco utilizámos caneta de feltro preta para desenhar as orelhas e os pormenores do focinho. Colámos dois olhinhos que mexem. 
De uma revista usada rasgámos pedaços de folha em tons de verde que colámos no fundo do trabalho para representar a relva.

domingo, 26 de julho de 2015

Joaninha Voa Voa

 Canção
"Joaninha voa voa"
Joaninha voa voa
Como cresce o teu jardim
Com sinos de prata
E rosas da mata 
E margaridas sem fim 

Canção "Joaninha Voa Voa" em: https://youtu.be/EIjCdoUaxiM

Pintámos a planta do nosso pé com tinta cenográfica vermelha e preta e estampámo-la numa folha de papel branco. Com tinta verde pintámos os nossos dedos e a parte mais superior da nossa palma da mão que estampámos na folha a representar a relva. 
Depois de tudo seco utilizámos marcadores amarelos, cor de rosa e pretos para fazer as flores, as pintinhas, as patas e as antenas da joaninha. No final colámos dois olhinhos que mexem. 

sábado, 25 de julho de 2015

Conheci uma girafa!!!

 Canção
"Girafa"
Conheci uma girafa
Que era feita de papel
Tinha um pescoço bem alto
E duas tranças de cordel
Pintei-lhe os olhos de verde
E no nariz pus-lhe um botão
Fiz-lhe orelhas de cartolina
E quatro pernas de cartão
...

Para elaborarmos este trabalho recortámos de uma revista usada metade de uma girafa. 
Pintámos a palma da nossa mão e parte do nosso braço com tinta cenográfica castanha e estampámo-la numa folha branca. Depois de seca colámos a metade superior da girafa no seguimento da estampagem. Utilizámos marcador castanho para fazer as manchas e completar as patas e a cauda da girafa. 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Eu conheci um leão...

 Canção
"O Leão"
 Eu conheci um leão, leão, leão
Mas não era um leão, não era não. 
O que era então? Não digo não, não digo não. 
O que era então? Não digo não, não digo não
Tinha orelhas de leão, leão, leão
Mas não era um leão, não era não
O que era então? Não digo não, não digo não
 O que era então? Não digo não, não digo não
Tinha patas de leão, leão, leão
Mas não era um leão, não era não
O que era então? Não digo não, não digo não
 O que era então? Não digo não, não digo não
Tinha cauda de leão, leão, leão
Mas não era um leão, não era não
O que era então? Não digo não, não digo não
 O que era então? Não digo não, não digo não
Ora diga, diga, diga, lá então
Ora diga, diga, diga, lá então
Era a leoa, a mulher do leão
Era a leoa, a mulher do leão


 Depois de conhecer o leão do jardim zoológico resolvemos recriar um. 
Numa folha de papel branca estampámos a palma da nossa mão pintada com tinta castanha. Com uma esponja circular e outra retangular estampámos a cabeça e a juba do leão. Com caneta de feltro castanha desenhámos o focinho, os bigodes e completámos a cauda e as patas do leão. Com um marcador verde desenhámos a relva.

domingo, 19 de julho de 2015

O morango!

 Adivinha
Sou vermelhinho e pequeno
Cheio de pintinhas pretas
Sou uma delícia na sobremesa
Quem sou eu?


Para fazer este morango pintámos as palmas das mãos com tinta cenográfica vermelha e verde. Depois estampámos a mão direita junta com a mão esquerda numa folha de papel branco. 
Com marcadores verdes desenhámos o pé do morango e com marcador preto as pintinhas. 

sábado, 18 de julho de 2015

O papá andas nas colheitas!


Como alguns pais das crianças andam ocupados nas colheitas, resolvemos fazer este trabalho onde reproduzimos um tractor no meio dos cereais. 
Pintámos a planta do pé com tinta azul, e estampámo-la numa folha branca para representar a carroçaria do tractor. Com círculos de cartolina preta e amarela fizemos as rodas do tractor e o sol. Desenhámos com marcadores os cereais, os raios de sol, o volante e o banco do tractor. 

domingo, 12 de julho de 2015

O indiozinho...

 Canção
O indiozinho estava a chorar
Queria um cavalo para montar
Foi para o prado à beira do rio
Viu um cavalo cheio de frio

O cavalinho estava a tremer
O indiozinho deu-lhe de comer
Fez-lhe festinhas foi p´ró pé dele
Deu-lhe uma manta e dormiu com ele
(...) 

Canção "O indiozinho" - em https://www.youtube.com/watch?v=O4lEMFbm9h4

A propósito da canção "O indizionho", resolvemos recriar um. Pintámos a palma da mão de cor de rosa, com uma tira transversal verde e os dedos de cor de laranja, vermelho, azul e lilás; que estampámos numa folha de papel branco. Depois de seca desenhámos a boca, o nariz e as sobrancelhas, colámos dois olhinhos que mexem, penas cor de rosa e um colar em contas de madeira. 

sábado, 11 de julho de 2015

Sobre a teia de uma aranha!!!

Canção
1 elefante que se baloiçava
Sobre a teia de uma aranha
E como via que resistia
Foi chamar mais um amigo

2 elefantes que se baloiçavam
Sobre a teia de uma aranha
E como viam que resistia
Foram chamar mais um amigo

3 elefantes que se baloiçavam
Sobre a teia de uma aranha
E como viam que resistia
Foram chamar mais um amigo
...
(continuar até o número que se pretende ensinar)

Depois de ensinar a canção acima descrita elaborámos este trabalho de plástica. 
Pintámos as palmas das mãos com tinta cenográfica cinzenta, estampámo-las numa folha de papel branco. Depois de seca com um marcador preto desenhámos a teia da aranha e os pormenores dos elefantes. Por fim colámos uns olhinhos que mexem. 

sábado, 4 de julho de 2015

O peixinho vai nadando...

 Canção
O peixinho vai nadando
Vai nadando de mansinho
Ele sobe e dá uma volta
E vai seguindo o seu caminho


Depois de aprendermos a canção "O peixinho vai nadando" fizemos um peixinho. 
Pintámos as plantas dos pés com tinta cenográfica azul e estampámo-las numa folha de papel branco. Para as barbatanas utilizámos papel de lustro azul que dobrámos em leque. Com o nosso indicador e tinta azul reproduzimos as bolinhas a saírem da boca do peixinho. No final colámos um olhinho e desenhámos a boca com um marcador azul. 

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Quem me ajuda a apanhar o milho?


 Depois de contar a história da "Galinha Ruiva" reproduzimos as espigas de milho. 
Pintámos a parte lateral das nossas mãos de verde para fazer os caules das espigas. Depois pintámos as plantas dos pés com tinta amarela que estampámos de forma a reproduzir as maçarocas de milho. No final voltamos a utilizar a parte lateral das nossas mãos para envolver as espigas em folhas verdes. Depois de seco utilizámos um marcador castanho para desenhar os grãozinhos de milho.

terça-feira, 30 de junho de 2015

A bailarina

Canção
"A Bailarina"

1, 2, 3 e 4
Dobro a perna e dou um salto
Viro e me reviro ao revés
Se eu cair conto até 10
Depois essa lengalenga 
Toda recomeça 
Puxa vida ora essa
Vivo na ponta dos pés
(...)
(Canção "A Bailarina" - em https://www.youtube.com/watch?v=8kdwSilspPE)
Depois de ouvirmos a música "A bailarina" uma das crianças resolveu desenhá-la numa folha de revista utilizando para isso lápis de cera.

domingo, 28 de junho de 2015

Diz o galo para a galinha!!!

 Lengalenga

Dizia o galo para a galinha:
- Vamos casar a nossa filhinha.
- A nossa filhinha casada será,
E agora o noivo, donde virá?
Dizia o galo, que estava a cantar,
Que estava pronto com ela a casar.
- O noivo já nós temos, já
Agora o padrinho, donde virá?
Dizia o rato, lá do buraquinho,
Que estava pronto para ser o padrinho.
- O padrinho já nós temos, já,
Agora a madrinha, donde virá?
Dizia a cabra, lá do meio da vinha,
Que estava pronta para ser a madrinha.
- A madrinha já nós temos, já,
Agora o enxoval, donde virá?
Dizia a aranha, lá do aranhal,
Que estava pronta para dar o enxoval.
- Enxoval já nós temos, já,
Agora a cozinheira, donde virá?
Dizia a rola, que andava a rolar,
Que estava pronta para cozinhar.
- Cozinheira já nós temos, já,
Servir à mesa, donde virá?
Dizia a andorinha, com a sua ligeireza,
Que estava pronta para servir à mesa.
- Servir à mesa já nós temos, já,
Mas o bailarico, donde virá?
Diziam os mosquitos, que andavam no ar,
Que estavam prontos a irem bailar.
- Bailarico já nós temos, já,
Mas o gaiteiro, donde virá?
Dizia o burro, lá do seu palheiro,
Que estava pronto para ser o gaiteiro.
- O gaiteiro já nós temos, já,
Ao casamento nada faltará!


Depois de explorarmos a Lengalenda acima descrita elaborámos este trabalho. 
Pintámos as palmas das mãos com tinta cenográfica que depois estampámos numa folha branca. Para completar o galo e a galinha colámos dois olhinhos que mexem e com marcadores laranja e vermelho fizemos o bico, a crista e as patas.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

A Borboleta Leta

 
 Depois de lermos e explorarmos a história "A Borboleta Leta", 
resolvemos reproduzi-la com os nossos pés!

Pintámos as plantas dos nossos pés com tinta cenográfica em tons de roxo, lilás e amarelo. Depois, numa folha de papel branco, estampámos os nossos pés de forma a criar as asas da borboleta. Com uma caneta de feltro roxa desenhámos o corpo e a cabeça da borboleta, com uma caneta vermelha fizemos a boca e para rematar colámos dois olhinhos que mexem.
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...